Pesquisa aponta reprovação da reforma da Previdência na Câmara

01/08/2017

Uma pesquisa realizada pelo Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo e do Tribunal de Contas da União (Sindilegis) mediu a dificuldade de aprovação da reforma da previdência na Câmara dos Deputados.

De 512 deputados entrevistados, 205 se declaram contra as mudanças na aposentadoria em discussão no Congresso. Apenas 77 são favoráveis. Desses, 36 parlamentares votariam sim, mas têm ressalvas.

 

No momento da pergunta, 173 não quiseram responder e 57 afirmam estar indecisos. Apenas uma deputada, Tia Eron (PRB/BA), não foi ouvida porque estava de licença.

 

O resultado indica a dificuldade do governo de emplacar a reforma, principalmente porque a pesquisa foi concluída um dia antes do início da crise política provocada pela divulgação da gravação da conversa entre o empresário Joesley Batista com o presidente Michel Temer. Para aprovar as mudanças, são necessários 308 votos. O levantamento foi realizado entre 9 e 16 de maio.

 

Podem mudar representam 15,23%

O Sindilegis fez entrevistas pessoais e também levou em conta discursos de deputados em plenário. Pela pesquisa, apenas 15,23% disseram que sua posição ainda pode mudar.

 

O cenário foi avaliado em situação bem mais tranquila do que a atual, quando o presidente Michel Temer precisa angariar votos para outro assunto: a paralisação da denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por corrupção, que será levada ao plenário na próxima quarta-feira.

 

Maioria da bancada do DF é contra

Entre os integrantes da bancada do DF, Augusto Carvalho (SD), Érika Kokay (PT), Roney Nemer (PP), Ronaldo Fonseca (Pros) e Rogério Rosso (PSD) afirmaram que são contra a reforma da Previdência. Os deputados Alberto Fraga (DEM) e Izalci Lucas (PSDB) estavam indecisos e Laerte Bessa (PR) não respondeu. Ninguém se declarou favorável.

 

Quem é quem

Entre os entrevistados que são a favor da reforma da previdência, 29,41% estão no estado de Goiás e, entre os que são contra, 67,74% são do Rio Grande do Sul. No critério por partido, todos do PSol são contra e entre os que são a favor 16,67% são do PV.

 

FONTE:  CORREIO BRAZILIENSE – ANDRÉ DUSEK/AGÊNCIA ESTADO – BRASIL – BRASÍLIA – DF